Treinamento físico e lesão no ligamento cruzado anterior. É possível treinar? É possível prevenir lesões? (parte1)

Este é realmente um assunto polêmico dentro da área do condicionamento físico e, embora eu seja um grande adepto do que é tradicional, tive a humildade de mudar de opinião depois de um pouco de pesquisa, vivência e reflexão.

Este é um artigo retirado do blog http://rafaelalonsofc.blogspot.com.br

Após algum tempo de prática atuando como personal trainer comecei a me deparar com pessoas que tinham lesões no joelho, principalmente lesões de ligamento cruzado anterior e, estas pessoas geralmente vinham com indicações médicas que não faziam tanto sentido. No início, como eu era inexperiente, seguia estas indicações e não obtinha bons resultados. O que acontecia era que tais indicações me diziam para utilizar exercícios em cadeia cinética aberta, evitar agachamentos e, vez ou outra, pediam para eu fortalecer adutores e/ou abdutores do quadril.

Estas pessoas me procuravam já dizendo que não deviam fazer agachamentos, no entanto, reclamavam de dor até para se levantar e sentar de uma cadeira. Esta questão me deixava intrigado, pois eu me sentia incapaz de resolver o problema dos meus clientes.

Então comecei a pesquisar a respeito e percebi que isto não era somente algo que ocorria comigo, muitos profissionais se deparavam com isto e várias pessoas pesquisavam a respeito.

E algumas pesquisas me levaram a fazer as seguintes questões:

- Como as pessoas machucam os joelhos?

- Porque as pessoas machucam os joelhos?

Realmente é um assunto muito complexo e podemos notar que existe mais de uma forma de se lesionar. As respostas para estas perguntas se complementam, já que podemos lesionar nossos joelhos simplesmente por não saber nos movimentar corretamente e, podemos nos lesionar por questões fisiológicas, como no caso de um atraso na ativação de musculaturas que deveriam estabilizar nossos joelhos durante alguns movimentos.

Vamos então observar o que chamamos de “mecanismo de lesão do joelho”:

Uma das principais lesões do joelho envolve o ligamento cruzado anterior (LCA). A função do LCA é evitar o deslocamento anterior da tíbia sobre o fêmur. Ele é o segundo ligamento mais forte do joelho, podendo suportar até 226 kg (2200N)!

Mesmo sendo forte, o LCA não suporta tanto as forças de rotação, seja em um impacto único e forte ou em pequenos impactos consecutivos (o que pode acarretar em uma lesão crônica).

les

Geralmente, as lesões vêm combinadas, por exemplo :

LESÃO COMBINADA (LCA +LCM + Cápsula):

–Impacto Lateral: Valgo + Rotação Lateral + Flexão.

 No caso da imagem, o jogador não soube se movimentar corretamente, executando o mecanismo de lesão, que consiste em deixar o pé fixo no chão e realizar uma rotação interna do quadril, sem que a perna acompanhe o movimento da coxa. Este tipo de lesão pode ocorrer não somente por conta da mecânica do movimento realizada de maneira intencional pelo jogador, mas pode também ocorrer devido a questões fisiológicas, ou seja, de maneira não intencional.

Como assim?

Você já parou pra pensar em como nosso cérebro faz para que nossos movimentos ocorram?

*Continua na parte 2

Este é realmente um assunto polêmico dentro da área do condicionamento físico e, embora eu seja um grande adepto do que é tradicional, tive a humildade de mudar minha opinião depois de um pouco de pesquisa, vivência e reflexão.
 
Após algum tempo de prática atuando como personal trainer comecei a me deparar com pessoas que tinham lesões no joelho, principalmente lesões de ligamento cruzado anterior e, estas pessoas geralmente vinham com indicações médicas que não faziam tanto sentido. No início, como eu era inexperiente, seguia estas indicações e não obtinha bons resultados. 
 
O que acontecia era que tais indicações me diziam para utilizar exercícios em cadeia cinética aberta, evitar agachamentos e, vez ou outra, pediam para eu fortalecer adutores e/ou abdutores do quadril.
 
Estas pessoas me procuravam já dizendo que não deviam fazer agachamentos, no entanto, reclamavam de dor até para se levantar e sentar de uma cadeira. Esta questão me deixava intrigado, pois eu me sentia incapaz de resolver o problema dos meus clientes. 
 
Então comecei a pesquisar a respeito e percebi que isto não era somente algo que ocorria comigo, muitos profissionais se deparavam com isto e várias pessoas pesquisavam a respeito. 
 
E algumas pesquisas me levaram a fazer as seguintes questões:
 
- Como as pessoas machucam os joelhos?
- Porque as pessoas machucam os joelhos?
 
Realmente é um assunto muito complexo e podemos notar que existe mais de uma forma de se lesionar. As respostas para estas perguntas se complementam, já que podemos lesionar nossos joelhos simplesmente por não saber nos movimentar corretamente e, podemos nos lesionar por questões fisiológicas, como no caso de um atraso na ativação de musculaturas que deveriam estabilizar nossos joelhos durante alguns movimentos.
 
Vamos então observar o que chamamos de “mecanismo de lesão do joelho”:
 
Uma das principais lesões do joelho envolve o ligamento cruzado anterior (LCA). A função do LCA é evitar o deslocamento anterior da tíbia sobre o fêmur. Ele é o segundo ligamento mais forte do joelho, podendo suportar até 226 kg (2200N)!
 
Mesmo sendo forte, o LCA não suporta tanto as forças de rotação, seja em um impacto único e forte ou em pequenos impactos consecutivos (o que pode acarretar em uma lesão crônica).
 
Geralmente, as lesões vêm combinadas, por exemplo :
 
LESÃO COMBINADA (LCA +LCM + Cápsula):
–Impacto Lateral: Valgo + Rotação Lateral + Flexão.
 
 
No caso da imagem, o jogador não soube se movimentar corretamente, executando o mecanismo de lesão, que consiste em deixar o pé fixo no chão e realizar uma rotação interna do quadril, sem que a perna acompanhe o movimento da coxa. Este tipo de lesão pode ocorrer não somente por conta da mecânica do movimento realizada de maneira intencional pelo jogador, mas pode também ocorrer devido a questões fisiológicas, ou seja, de maneira não intencional.
 
Como assim?
 
Você já parou pra pensar em como nosso cérebro faz para que nossos movimentos ocorram?
 

*Continua na parte 2