Saúde física e ansiedade: Será que a culpa é de nossa rotina?

Quantas vezes você ouviu por aí pessoas falando que suas rotinas são estressantes? Será que a culpa é mesmo da rotina?

“Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais: somos também o que lembramos e aquilo de que nos esquecemos; somos as palavras que trocamos, os enganos que cometemos, os impulsos a que cedemos 'sem querer'”.

- Sigmund Freud

Esta frase faz sentido não somente em seu contexto literário/filosófico, mas também em termos fisiológicos. Como assim?

 Alguns estudos têm nos mostrado que a maneira como levamos nossa vida influencia fortemente nosso organismo. Por exemplo, com a correria do dia a dia é comum ficarmos irritados e ansiosos. Acontece que esse estresse se “aloja” em nosso corpo e pode acarretar em alguns problemas, como distúrbios psicológicos e também mudanças em nosso organismo.

Em um estudo sobre o assunto, Freitas e Ferreira (2007) analisaram a relação entre os níveis de ansiedade e a postura de voluntários, onde foi encontrada correlação entre a assimetria da cabeça, da pelve e do ombro dos mesmos. Os achados deste estudo nos fazem refletir a respeito da forma como tendemos levar nossas vidas. Em outra pesquisa, Araújo e colaboradores (2007) apontam que a baixa aptidão física das pessoas com transtornos de ansiedade aumentam a predisposição destes a outros tipos de doenças crônico-degenerativas. Refletir sobre estes estudos torna-se necessário para que haja a conscientização das pessoas a respeito de o quanto paramos de nos movimentar nos dias de hoje.

postbigbrain

Já havíamos dito anteriormente que todo exercício tem característica neuromuscular, agora, vamos pensar a respeito de nossos pensamentos e atitudes: Se nós temos atitudes e pensamentos negativos, eles vão ficar gravados em nossa memória, e a memória nada mais é do que o armazenamento de informação, que é uma função exercida por neurônios, através de sinapses. Cada vez que sinais passam por alguma sequência de sinapses, estas sequências ficam mais capazes de transmitir o mesmo tipo de sinal, este processo é conhecido como facilitação. Uma vez que estas informações ficam armazenadas no sistema nervoso, elas passam a fazer parte do processamento de dados de nosso cérebro para uso futuro.

Nossa rotina tem nos deixado com dores nas costas, nos ombros, etc...

- Espera! A culpa não é da rotina, mas sim de sua atitude em relação a ela. Seja mais otimista! ;)

A respeito da rotna, saiba mais através de nosso Artigo: Porque fazemos o que fazemos. Até uma próxima! 

 

Referências:

ARAÚJO, Sônia Regina Cassiano de; MELLO, Marco Túlio de; LEITE, José Roberto. Transtornos de ansiedade e exercício físico. Revista brasileira de psiquiatria, 2007.

DE FREITAS, Ellen Cristina Gesse; FERREIRA, Elizabeth Alves Gonçalves. Alinhamento postural, ansiedade e estresse em adultos jovens. 2007.

HALL, John E. Guyton E Hall Tratado De Fisiologia Médica. Elsevier Brasil, 2017.