Princípio da Interdependência Volume/Intensidade?

Há algum tempo falamos por aqui a respeito do princípio da conscientização, que na Alemanha é conhecido como princípio da clara consciência. Já este texto traz uma visão contemporânea a respeito do princípio da interdependência volume/intensidade.

O treinamento esportivo constitui uma preparação sistemática do organismo, que respeita processos e adaptações psicobiológicas que buscam melhorar o desempenho. Para tal, alguns aspectos foram alvo de estudo e, posteriormente, percebidos como essenciais para a evolução de uma pessoa dentro do processo de preparação física, estes aspectos são conhecidos hoje como princípios científicos e leis biológicas do treinamento esportivo.

Segundo Bessa e colaboradores (2017) o princípio da interdependência volume/intensidade nos diz que, como o próprio nome aponta, existe uma inter-relação entre o volume (quantidade do treino, seja em tempo, repetições, distância, etc.) e a intensidade (cargas do treino, seja em quilos, watts, libras, velocidade, etc.) e que estas duas variáveis são inversamente proporcionais.

Durante algum tempo este princípio foi aceito. Porém, alguns treinadores e pesquisadores questionaram o fato de que um treino volumoso é fisiologicamente intenso. Seguindo essa linha de raciocínio, volume e intensidade podem não mais serem variáveis inversamente proporcionais.

Ao invés de utilizar esta terminologia, Vladmir Platonov, em seu livro “Система подготовки спортсменов в олимпийском спорте. Общая теория и ее практические приложения” de 2015, (que pode ser traduzido como Sistema de preparação de atletas em esportes olímpicos. A teoria geral e suas aplicações práticas) têm utilizado o termo qualidade. A qualidade em que a pessoa treina está diretamente relacionada com o aumento ou não das variáveis volume e intensidade. Portanto, se o volume de treinamento é alto, a qualidade é baixa. Na verdade, então, quando se aumenta o volume do treino, a qualidade deste treino cai, ou seja, os ritmos que são possíveis de se fazer quando o volume é baixo, logo são dificultados com o aumento do volume, por consequência, a qualidade com que o atleta executa isso cai. Um treinamento com alto volume traz consigo uma alta intensidade fisiológica, requisitando assim mais tempo, uma alimentação mais sofisticada, mais descanso.

princ

Podemos notar esta relação quando comparamos rotinas de treinamento de atletas profissionais com o treinamento de atletas amadores. No geral, profissionais têm um baixo volume de treino, porém, cargas altas, haja vista que seu calendário não permite com que ele se distancie da forma e da qualidade competitiva. Os profissionais já passaram por períodos volumosos de treino, agora se preocupam com a qualidade (não que o amador não se preocupe com isso), ou seja, os aspectos técnicos e táticos são altamente treinados.

Trazendo esta conversa para nosso dia a dia, podemos notar que a qualidade com que realizamos nossa rotina de treinamento deve ser o foco. Ou seja, nós, profissionais de educação física, como preparadores físicos e treinadores, devemos dosar com cautela cada nível de volume e intensidade para extrair o máximo de performance sem comprometer a saúde de nossos clientes.

Referências

Bessa, L C et al. 
A importância dos princípios do treinamento. Prescrição do treino. Extraído de:  http://www.efdeportes.com/efd186/aimportanciadosprincipiosdotreinamento, publicado no dia 24/01/2017.

Platonov V. Система подготовки спортсменов в олимпийском спорте. Общая теория и ее практические приложения. Ozon. 2015.